Feliz Páscoa

Em meio a pandemia mundial, a Semana Santa deste ano foi muito diferente. Para garantir que comemorássemos da maneira que estamos acostumados, pesquisei as lojas que estavam entregando Ovos de Páscoa e compramos com antecedência o peixe para fazer na sexta-feira santa. Costumes e tradições são coisas engraçadas, né? Mesmo não sendo religiosa, sigo alguns rituais que minha mãe, muito católica, fazia. E, de certa maneira, eu me sinto mais próxima dela e de tudo que me ensinou.

Mas tentar manter a normalidade quando não há nada normal é uma sensação estranha e, ao ler notícias de mercados de peixe com filas quilométricas, supermercados fechados e lojas de chocolates cheias eu fiquei me questionando: precisamos colocar nossa vida em risco para cumprir rituais? Em meio a uma pandemia mundial precisamos fazer tudo exatamente como fazíamos antes?

Não precisamos. Esta é a resposta. Até quem acredita em deus deve concordar que ele não gostaria que as pessoas arriscassem suas vidas e colocassem as de outras em risco. Podemos atrasar a entrega do ovo de Páscoa, deixar o peixe para outro dia, fazer compras em segurança com os mercados mais vazios. Querer fazer tudo exatamente igual, mesmo em momentos adversos, demonstra resistência a mudanças.

Está tudo diferente agora e precisamos aceitar isso. E quanto mais rápido aceitarmos, mas rápido nos adequamos. Estamos vivendo um momento histórico que, posteriormente, será relatado em livros e estudado por gerações. Teremos a oportunidade de ver a mudança de várias coisas à nossa volta e nada poderemos fazer além de aceitar, nos adequar e mudar também.

As relações familiares, o ensino, o trabalho, a contratação de serviços, a compra e venda de produtos, em pouco tempo, ganharam uma nova dinâmica. Certamente, muito mais está por vir. Independente da nossa vontade. Por isso é necessário questionar nossas relações, refletir sobre nossos anseios, questionar nossas certezas e nos adequarmos a nova realidade.

Quando sairmos da quarentena o mundo não será o mesmo de antes, pois ainda que façamos um enorme esforço para manter as coisas tal como as conhecemos, teremos mudado de alguma maneira. O novo sempre vem. É, portanto, tempo de recomeço e renascimento e, neste sentido, nunca tivemos uma Páscoa tão profunda.

Feliz Páscoa. Mesmo com atraso.

linhaassinatura_GISELI

 

Etiquetado , , , , , , , , , ,

Um pensamento sobre “Feliz Páscoa

  1. […] publicada no Amor Crônico em 13 de abril de […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: