Arquivo da tag: dicas de relacionamento

O casal e a coxa de frango

Li, já faz muito tempo, uma história que não sei exatamente como era, mas, em resumo, dizia que um casal de idosos, juntos há mais de sessenta anos, estavam reunidos com a família para comer um frango assado desses de padaria. Quando a filha pergunta qual a parte que a mãe mais gosta ela responde que é a coxa. O marido fica surpreso, pois ela sempre comeu o peito. E ela explica que sempre comeu o peito por saber que ele preferia a coxa.

O final do texto vocês já devem imaginar: a filha fica emocionada e a moral da história é que relações bem-sucedidas são assim, um renunciando a alguma coisa pelo outro. Pois bem. Muitos devem concordar com isso, achar a história fofa e romântica, mas, sinceramente, eu não achei. Passar a vida inteira com alguém sem falar da sua preferência? Comer por anos seguidos algo que não gosta muito para satisfazer o outro? E pior: sem permitir que o outro conheça seus verdadeiros gostos?

Por que estou trazendo essa história? Porque muitas vezes tomamos decisões, não falamos a verdade, agimos para agradar o outro e não levamos em conta as nossas preferências. E isso está errado. E, se voltarmos a história do frango, os dois podiam comer felizes, já que o frango tem duas coxas! Por que dificultar a vida?

Em um relacionamento duradouro, certamente, você vai fazer coisas que não deseja, renunciar a alguma coisa, ir a lugares que não gosta, aturar um parente inconveniente. Faz parte. A vida, até mesmo solitária, tem dessas coisas. Mas daí a fazer sempre algo que você não gosta para fazer o outro feliz, sem que o outro nem saiba que você está abdicando de alguma coisa, não é um pouco demais?

Não seja essa pessoa. Seja lá qual for a coxa de frango da sua vida a dois, repense. Fale a verdade. Diga o que gosta. Você não precisa renunciar sempre. Permita que o outro também deixe de comer a coxa para te dar. Permita que o outro também demonstre carinho e cuidado por você. Relacionamento é isso: um pelo outro, não um fazendo tudo pelo outro sempre.

assinatura_GISELI
Etiquetado , , , , , ,

Quais os hábitos dos casais felizes?

Não há razão para estar em um relacionamento que não faz bem, certo? Mas quando se trata de relações longas e duradouras, muitas pessoas se perguntam o que podem fazer para que a felicidade e o prazer de compartilhar a vida a dois continue. Surpreendentemente, é a simplicidade que faz com que a rotina não atrapalhe o relacionamento e mantêm a felicidade no amor. Inspire-se nestes hábitos e seja feliz!

Tenha interesses comuns

É muito importante ter interesses próprios e cultivar isso, mas desenvolver atividades em parceria com o amor da sua vida faz bem à saúde da relação. Que interesses vocês têm em comum? O que compartilham?

Confie e perdoe

Ao longo de qualquer relacionamento há desentendimentos, desavenças e incômodos. Mas os casais felizes, geralmente, conversam, confiam um no outro e perdoam. Não há relação saudável baseada em desconfiança e hostilidade.

Valorize os pontos positivos

Todos nós temos defeitos e é natural que, passada a fase da paixão, eles passem a incomodar mais. Mas só existem defeitos? É claro que não! E você deve valorizar as qualidades, se orgulhar, admirar e elogiar os pontos positivos da pessoa ao seu lado.

Demonstre carinho

Abrace, beije, diga eu te amo. Por mais tempo que tenham juntos, por mais atribulada que seja a rotina, não deixe de demonstrar carinho, atenção e amor. Acreditar que não é preciso manifestar amor, pois o outro já sabe e convivem há anos juntos, é um erro.

Pergunte pelo seu dia

Nem sempre é possível mandar mensagens e saber como o ser amado está passando o dia. Mas quando for, faça isso. Se não ser, ao chegar em casa pergunte como passou o dia e escute com atenção.

Não durma sem dizer boa noite

Mesmo depois de um desentendimento, diga boa noite. A relação precisa ser maior do que qualquer desavença e, mesmo nos dias em que estiver chateado, não deixe de dizer boa noite. Você pode dormir chateado, mas não precisa deixar o problema ainda maior do que já está.

Mais importante do que qualquer dica é ter consciência de que cada casal tem a sua história, seus hábitos e sua maneira de ser feliz. A felicidade precisa ser construída diariamente.

linhaassinatura_GISELI

Etiquetado , , , , ,

Casais que conversam são mais felizes

Todos nós nos comunicamos o tempo todo, na vida pessoal, profissional ou acadêmica. Mas, sabemos, nem sempre somos compreendidos ou nos fazemos compreender. A comunicação é um desafio e, constantemente, início de vários mal-entendidos, fonte de mágoas, desavenças e afastamento entre as pessoas. Quando se trata de relacionamento amoroso muitos reclamam que o parceiro não entende o que dizem, que não há um momento em família para conversar sobre o dia a dia, que não é compreendido, que não têm apoio.

A verdade é que não aprendemos a nos comunicar e, sim, a falar. Não somos ensinados a identificar nossas necessidades, expor sentimentos, falar para o outro o que sentimos e ouvir sem julgar. Alguns de nós aprendem na marra. Outros procuram ajuda para aprender. Mas muitos não aprendem nunca e quando se dão conta estão vivendo um relacionamento distante, sem diálogo, em que cada tentativa de iniciar uma conversa vira uma discussão.

O que cada um de nós pode fazer para manter uma boa comunicação na relação? Sobre o que podemos conversar? O que devemos fazer para proteger o relacionamento? Como os casais felizes se comunicam? A Psicologia pode ajudar. Ela tem mostrado quais comportamentos melhoram a comunicação conjugal e tornam os relacionamentos mais felizes.

Então vamos lá:

  1. Faça da conversa um hábito

Crie o hábito de conversar, seja no café da manhã ou no jantar. No tempo que tiverem juntos. Pergunte “como foi o seu dia?”, por mais banal e trivial que isso possa parecer, quem não gosta de saber que, ao chegar em casa tem alguém interessado no que você fez e como se sente?

  1. Relembre momentos felizes

Conversar sobre os acontecimentos vividos têm a capacidade de nos fazer sentir mais ligados a quem amamos. Então pegue o álbum de fotos ou comecem a fazer um. Conversem sobre as memórias que construíram juntos: o primeiro beijo, o primeiro encontro, uma festa divertida que foram, um show que ficou marcado, uma viagem inesquecível.

  1. Conte a sua história

Compartilhar a sua história de vida, e ter disponibilidade para conhecer a do outro, é muito importante em uma relação duradoura. Fale da sua infância, da sua família, das suas experiências passadas. As pessoas se sentem mais próximas umas das outras quando conhecem seu passado e compartilham sua bagagem emocional.

  1. Compartilhe e respeite os sentimentos

Falar a respeito dos seus sentimentos faz com que a pessoa amada se sinta mais amparada e aberta a falar dos seus. E, uma vez, que a pessoa que ama fale o que sente cabe a você prestar atenção no que diz e mostrar que ela tem direito de se sentir como está.

  1. Lute pelos seus sonhos

Não coloque no outro a responsabilidade de te fazer feliz. Cabe a você lutar pela concretização dos seus objetivos. Portanto, fale dos seus planos e objetivos, diga onde quer chegar, exponha seus sonhos. Não é justo, de uma hora para outra, tomar decisões que afetam o casal se em nenhum momento conversou sobre isso. Por outro lado, preste atenção no que o outro diz, incentive a buscar seus sonhos e ajude a realizá-los. A relação fica mais viva quando torcemos pela felicidade do outro e o outro pela nossa. Quando o casal se torna uma equipe.

  1. Não dê conselhos que não foram pedidos

Na maioria das vezes, ao falar de um problema, seja ele familiar ou profissional, a pessoa prefere uma demonstração de empatia a um sermão. Ouça. Coloque-se no lugar no outro. Acolha sentimento de quem você ama e, se sua opinião não foi solicitada, não dê. Se colocar como dono da verdade, sair dizendo o que fazer, ainda que seja com a melhor dos intensões, pode trazer discussões e mal-entendidos. Tem hora de falar e de calar.

  1. Demonstre o seu amor

Não importa o tempo que estão juntos. Dizer eu te amo, abraçar e demonstrar afeto nunca é demais. Ao imaginar que o outro já sabe o que sentimos e, por isso, deixar de dizer, afasta o casal. E demonstre nas suas ações cotidianas, pois palavras sem ações não têm muita validade.

Para terminar, eu escrevi alguns textos que falam sobre comunicação e também podem ajudar:

Manter uma boa comunicação não é tão fácil quanto imaginamos, pois depende de conhecermos a nós mesmos e o outro, mas quando há amor vale a pena tentar.

linhaassinatura_GISELI

Etiquetado , , , , , , , ,

O amor não precisa ser complicado

Eu me deparei com um tweet que dizia que ninguém fala que ter um bom relacionamento te faz sentir falta de sofrer por amor. Li, reli e não paro de pensar na ideia de que a maioria das pessoas tem de amar é sofrer, que amor não correspondido é romântico, que ter relacionamento exige sacrifícios, que aprendemos pela dor, só damos valor quando perdemos.

É impossível negar que o sofrimento amoroso nos presenteou com diversas músicas, poesias, livros e filmes maravilhosos. E que ter vivenciado experiências dolorosas em relacionamentos amorosos nos tornou melhores. Ou mais fortes. Ou mais conhecedores de nós mesmos. Ou, no mínimo, mais experientes.

Precisamos desconstruir a ideia de que o amor é capaz de mudar o outro, que o relacionamento tem mais valor depois de muitos obstáculos, de que conquistar alguém é um jogo, que amar é sofrer, que o sexo é melhor depois de uma briga, que reatar depois de dar um tempo faz as coisas melhorarem. Não caia nessa cilada de que amor verdadeiro é aquele que exige sacrifícios e renúncias.  O amor precisa ser fácil.

A vida, por si só, já é muito complicada para se envolver com alguém que só traz dor de cabeça. Todo e qualquer relacionamento vai ter seus desafios: problema financeiro, desavenças com a família, doenças, falecimento de alguém próximo, mudança de emprego, necessidade de reavaliar a dinâmica da família. Ou qualquer outra coisa, porque a vida é constante mudança. E você ainda precisa sofrer por amor? Sofrer com um relacionamento que deveria ser um dos motivos de sua felicidade?

Não sofra imaginando se a pessoa gosta de você ou não. Não tente se convencer de que o outro não ligou para fazer charme. Não acredite que o ciúme das suas roupas é zelo. Não assuma a responsabilidade de mudar o outro. Não acredite que a falta de carinho e atenção é para disfarçar o que sente por você.

Queira estar com quem quer estar com você. Com quem te liga no dia seguinte. Com quem diz que vai e aparece. Com quem te trata bem. Com quem te elogia. Com quem te apoia. Com quem te incentiva. Com quem te apresenta aos amigos. Com quem se orgulha de você. Com quem entende que o amor não precisa trazer dor, nem sofrimento para ser forte e verdadeiro.

Queira a sorte de um amor tranquilo.

linhaassinatura_GISELI

 

Etiquetado , , , , , , , , , ,

Demonstre afeto

A maioria das pessoas cresce com a ideia de que no amor é necessário fazer jogos de sedução. Fingem que não esperam ligações, se o crush liga não atende ou atende e diz que tem compromisso, e várias outras simulações que conhecemos bem. Ou já fizemos igual ou já vimos fazer ou já fizeram com a gente.

Jogos de sedução consistem em demonstrar que nada está garantido. E, para isso, o artifício é não mostrar com clareza o que sente. Eu vejo problema nesse jeito de se relacionar, mas não estou aqui para julgar e criticar quem prefere se relacionar dessa maneira. A questão é: com frequência vejo casais que estão juntos há muito tempo agindo dessa maneira.

Uma relação duradoura se mantém viva a medida em que as pessoas demonstram os seus sentimentos. São mais felizes os casais que mostram, de maneira verbal ou não verbal, o amor, a gratidão, a admiração que sentem um pelo outro. Vocês escolheram ficar juntos, já disseram incontáveis vezes “eu te amo”, mas, ainda assim é importante dizer mais uma vez.

E, mais importante ainda do que dizer eu te amo, é ser coerente com as declarações de amor. É dar apoio, demonstrar afeto, ajudar, elogiar, incentivar, agradecer. Diga obrigado(a) pelas pequenas coisas que o outro faz por você, isso significa que você reconhece que ele(a) não é obrigado(a) a fazer nada por você e faz por amor. Por carinho. Por gentileza. Por cuidado.

Cuide do seu relacionamento, peça por favor, diga obrigada, fale bom dia, boa tarde, boa noite. Com beijos, preferencialmente. E não fique esperando que leia seus pensamentos. Entendo quem, depois de um aborrecimento, não quer expor o que está sentindo e discutir o assunto, mas se não encontrar um momento para falar não fique esperando que amarrar a cara fará com que o outro entenda exatamente o que está sentindo.

Você já demonstrou seu amor hoje? Mande uma mensagem, compre um cartão, faça um elogio, abrace, diga eu te amo. Quem não gosta de se sentir valorizado, amparado e amado?

linhaassinatura_GISELI

 

Etiquetado , , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: