Arquivo da tag: Felicidade

Casais que conversam são mais felizes

Todos nós nos comunicamos o tempo todo, na vida pessoal, profissional ou acadêmica. Mas, sabemos, nem sempre somos compreendidos ou nos fazemos compreender. A comunicação é um desafio e, constantemente, início de vários mal-entendidos, fonte de mágoas, desavenças e afastamento entre as pessoas. Quando se trata de relacionamento amoroso muitos reclamam que o parceiro não entende o que dizem, que não há um momento em família para conversar sobre o dia a dia, que não é compreendido, que não têm apoio.

A verdade é que não aprendemos a nos comunicar e, sim, a falar. Não somos ensinados a identificar nossas necessidades, expor sentimentos, falar para o outro o que sentimos e ouvir sem julgar. Alguns de nós aprendem na marra. Outros procuram ajuda para aprender. Mas muitos não aprendem nunca e quando se dão conta estão vivendo um relacionamento distante, sem diálogo, em que cada tentativa de iniciar uma conversa vira uma discussão.

O que cada um de nós pode fazer para manter uma boa comunicação na relação? Sobre o que podemos conversar? O que devemos fazer para proteger o relacionamento? Como os casais felizes se comunicam? A Psicologia pode ajudar. Ela tem mostrado quais comportamentos melhoram a comunicação conjugal e tornam os relacionamentos mais felizes.

Então vamos lá:

  1. Faça da conversa um hábito

Crie o hábito de conversar, seja no café da manhã ou no jantar. No tempo que tiverem juntos. Pergunte “como foi o seu dia?”, por mais banal e trivial que isso possa parecer, quem não gosta de saber que, ao chegar em casa tem alguém interessado no que você fez e como se sente?

  1. Relembre momentos felizes

Conversar sobre os acontecimentos vividos têm a capacidade de nos fazer sentir mais ligados a quem amamos. Então pegue o álbum de fotos ou comecem a fazer um. Conversem sobre as memórias que construíram juntos: o primeiro beijo, o primeiro encontro, uma festa divertida que foram, um show que ficou marcado, uma viagem inesquecível.

  1. Conte a sua história

Compartilhar a sua história de vida, e ter disponibilidade para conhecer a do outro, é muito importante em uma relação duradoura. Fale da sua infância, da sua família, das suas experiências passadas. As pessoas se sentem mais próximas umas das outras quando conhecem seu passado e compartilham sua bagagem emocional.

  1. Compartilhe e respeite os sentimentos

Falar a respeito dos seus sentimentos faz com que a pessoa amada se sinta mais amparada e aberta a falar dos seus. E, uma vez, que a pessoa que ama fale o que sente cabe a você prestar atenção no que diz e mostrar que ela tem direito de se sentir como está.

  1. Lute pelos seus sonhos

Não coloque no outro a responsabilidade de te fazer feliz. Cabe a você lutar pela concretização dos seus objetivos. Portanto, fale dos seus planos e objetivos, diga onde quer chegar, exponha seus sonhos. Não é justo, de uma hora para outra, tomar decisões que afetam o casal se em nenhum momento conversou sobre isso. Por outro lado, preste atenção no que o outro diz, incentive a buscar seus sonhos e ajude a realizá-los. A relação fica mais viva quando torcemos pela felicidade do outro e o outro pela nossa. Quando o casal se torna uma equipe.

  1. Não dê conselhos que não foram pedidos

Na maioria das vezes, ao falar de um problema, seja ele familiar ou profissional, a pessoa prefere uma demonstração de empatia a um sermão. Ouça. Coloque-se no lugar no outro. Acolha sentimento de quem você ama e, se sua opinião não foi solicitada, não dê. Se colocar como dono da verdade, sair dizendo o que fazer, ainda que seja com a melhor dos intensões, pode trazer discussões e mal-entendidos. Tem hora de falar e de calar.

  1. Demonstre o seu amor

Não importa o tempo que estão juntos. Dizer eu te amo, abraçar e demonstrar afeto nunca é demais. Ao imaginar que o outro já sabe o que sentimos e, por isso, deixar de dizer, afasta o casal. E demonstre nas suas ações cotidianas, pois palavras sem ações não têm muita validade.

Para terminar, eu escrevi alguns textos que falam sobre comunicação e também podem ajudar:

Manter uma boa comunicação não é tão fácil quanto imaginamos, pois depende de conhecermos a nós mesmos e o outro, mas quando há amor vale a pena tentar.

linhaassinatura_GISELI

Etiquetado , , , , , , , ,

O amor não precisa ser complicado

Eu me deparei com um tweet que dizia que ninguém fala que ter um bom relacionamento te faz sentir falta de sofrer por amor. Li, reli e não paro de pensar na ideia de que a maioria das pessoas tem de amar é sofrer, que amor não correspondido é romântico, que ter relacionamento exige sacrifícios, que aprendemos pela dor, só damos valor quando perdemos.

É impossível negar que o sofrimento amoroso nos presenteou com diversas músicas, poesias, livros e filmes maravilhosos. E que ter vivenciado experiências dolorosas em relacionamentos amorosos nos tornou melhores. Ou mais fortes. Ou mais conhecedores de nós mesmos. Ou, no mínimo, mais experientes.

Precisamos desconstruir a ideia de que o amor é capaz de mudar o outro, que o relacionamento tem mais valor depois de muitos obstáculos, de que conquistar alguém é um jogo, que amar é sofrer, que o sexo é melhor depois de uma briga, que reatar depois de dar um tempo faz as coisas melhorarem. Não caia nessa cilada de que amor verdadeiro é aquele que exige sacrifícios e renúncias.  O amor precisa ser fácil.

A vida, por si só, já é muito complicada para se envolver com alguém que só traz dor de cabeça. Todo e qualquer relacionamento vai ter seus desafios: problema financeiro, desavenças com a família, doenças, falecimento de alguém próximo, mudança de emprego, necessidade de reavaliar a dinâmica da família. Ou qualquer outra coisa, porque a vida é constante mudança. E você ainda precisa sofrer por amor? Sofrer com um relacionamento que deveria ser um dos motivos de sua felicidade?

Não sofra imaginando se a pessoa gosta de você ou não. Não tente se convencer de que o outro não ligou para fazer charme. Não acredite que o ciúme das suas roupas é zelo. Não assuma a responsabilidade de mudar o outro. Não acredite que a falta de carinho e atenção é para disfarçar o que sente por você.

Queira estar com quem quer estar com você. Com quem te liga no dia seguinte. Com quem diz que vai e aparece. Com quem te trata bem. Com quem te elogia. Com quem te apoia. Com quem te incentiva. Com quem te apresenta aos amigos. Com quem se orgulha de você. Com quem entende que o amor não precisa trazer dor, nem sofrimento para ser forte e verdadeiro.

Queira a sorte de um amor tranquilo.

linhaassinatura_GISELI

 

Etiquetado , , , , , , , , , ,

Cada história tem os seus desafios

Manter um relacionamento duradouro não é tarefa simples. Mais do que amor é preciso vontade. De estar junto, de querer compartilhar a vida, de entrar em consenso, de investir no relacionamento, de apoiar, de pedir ajuda, de fazer com que o amor dê certo.

Com o passar do tempo o relacionamento vai mudando. Por uma razão muito simples: as pessoas vão mudando. Dentro de uma relação isso significa que, constantemente, os acordos precisam ser reavaliados, os desejos revistos, os planos refeitos. Uma relação é composta do eu e do nós.

É muito importante alimentar a individualidade, lutar pelos seus próprios objetivos, se dedicar às suas paixões. Isso torna as pessoas mais interessantes. Você lembra quando, no início do relacionamento, admirava a garra, o entusiasmo e a paixão com que o seu amor se dedicava a alguma coisa?

Se a individualidade é importante, os rituais a dois também são. Ter momentos a dois, prazer na companhia um do outro, encontrar uma atividade que possam fazer juntos, num mundo tão conturbado e cheio de responsabilidades, é essencial para a conexão amorosa.

Conversas pouco significativas, medo de falar alguma coisa, não se sentir livre para expor emoções, ter dúvida sobre o que sente pelo outro, não existir momentos a dois ou ser proibido de fazer suas atividades são sinais de que as coisas não estão bem.

Relacionamentos longos passam por diversas fases. Nascimento e crescimento dos filhos, problemas financeiros, mudança de residência, doenças familiares, morte de ente queridos. Cada fase tem também seu desafio e, claro, nestes momentos é possível que a conexão emocional seja prejudicada.

Portanto, é importante olhar para a relação e perceber se é uma fase ou não. Se não for é provável que a insatisfação aumente cada vez mais, até que não seja possível restabelecer a conexão e sintonia amorosa.

O maior desafio de uma relação amorosa está no óbvio: é preciso que os dois queiram estar juntos. E existe muita gente maluca, corajosa, que acredita no amor e está disposta a amar. Mesmo sabendo que terá desafios pela frente.

Cada casal tem a sua história. Cada história os seus desafios.

linhaassinatura_GISELI

Etiquetado , , , , , , , ,

Permita-se estar triste

Vivemos em um mundo em que a maioria das pessoas parece desconhecer a tristeza, onde só há sorrisos, boas festas, filmes incríveis, trabalhos magníficos, viagens, mesa de bar com os amigos. Aparentemente só há alegrias e felicidade. E, se por alguma razão, você está triste o problema é seu.

Compre um livro, procure um coaching, siga as digas de um youtuber, olhe o Instagram incrível de alguém mais incrível ainda. Seja rico. Seja famoso. Seja feliz. Seja magro. Seja bonito. Se você quer, você pode. Você consegue. É só ter força, foco e fé.

Não acho que devemos expor nossas dificuldades para todos e entendo, perfeitamente, uma enxurrada de posts felizes, motivacionais e inspiradores nas redes sociais. Mas, fora das redes, também encontramos sorrisos que escondem tristezas, pessoas aparentemente bem-sucedidas que estão frustradas, casais que demonstram estar felizes e não se suportam.

Mas não é sobe isso que desejo falar, pois a intimidade de cada um pertence a si mesmo. Quero dizer que toda essa aura de felicidades, de contentamento, de obrigação de ser feliz o tempo todo, faz com que as pessoas não tolerem algo tão humano e simples: a tristeza.

Não importa o motivo todos nós ficamos tristes vez ou outra. E ficar triste, embora seja condenado atualmente, faz parte da vida. Precisamos aceitar a tristeza e lidar com ela. Sofreu uma desilusão, foi acometido por uma doença, perdeu alguém querido, ficou sem emprego, o plano deu errado. E um direito seu ficar triste, chorar e sofrer.

Eu sei que estou falando o óbvio, mas já vi gente dizendo “não chore” para alguém que acabou de perder um ente querido. Não é desumano exigir que uma pessoa fique bem, não derrame uma lágrima após o falecimento de alguém?

Ninguém quer sofrer, mas o sofrimento faz parte da vida. Não significa que a pessoa esteja depressiva, seja fraca, não saiba lidar com as suas emoções. Pelo contrário. Quem finge estar feliz quando na verdade está infeliz, está ignorando a si mesmo e sabotando a própria felicidade.

Não se culpe quando estiver triste e o mundo parece estar feliz. Permita-se viver seus momentos de fraqueza, de dor, de insegurança, de medo, de insatisfação. Respire. Chore. Escreva sobre isso. Converse. Se preciso for, peça ajuda. E se não conseguir lidar com o problema, procure ajuda profissional.

Mas entenda: não há nada de errado em estar triste, decepcionado, frustrado, desanimado uma vez ou outra. Errado é ignorar os nossos sentimentos e emoções, perseguir uma felicidade inexistente e mentir para nós mesmos.

E acredite: a tristeza tem fim.

linhaassinatura_GISELI

 

Etiquetado , , , ,

Todo dia é dia dos namorados

Quando nos conhecemos eu seria capaz de jurar que o nosso relacionamento não seria nada além de um passatempo e alguns encontros casuais. Tenho certeza que você teria jurado o mesmo. Tudo que eu menos queria era me envolver com alguém naquele momento. E você também. Não levávamos muita fé na gente e ficamos ali, sem criar expectativas sobre um futuro a dois.

Como não temos controle sobre as coisas do coração, estamos juntos. Contrariando a expectativa de amigos, familiares e, principalmente, de nós mesmos. E hoje é o nosso oitavo dia dos namorados. Lembro-me do primeiro, em Santa Catarina. Naquele dia ainda não tínhamos assumido um namoro, não houve troca de presentes e não podemos dizer que foi um jantar romântico. Mas a viagem foi divertida e o jantar também, você lembra?

Aliás, naquele dia não poderíamos imaginar muitas outras coisas que estariam por vir. Quem de nós iria prever que aquela seria a primeira viagem de muitas? Que faríamos listas dos lugares que queremos visitar? Que iríamos viver sob o mesmo teto e teríamos uma casa decorada com vários objetos comprados em viagens? Nenhum de nós. Aquela viagem foi um prenúncio que não tivemos maturidade de compreender.

Já tivemos a oportunidade de comemorar o Valentine´s Day em Londres, lembra? Comemoramos por acaso, é verdade. Percebemos que tinha corações espalhados pela cidade, o restaurante estava todo decorado e tinha um cardápio especial. Foi uma noite alegre, divertida, teve boa comida e o melhor presente que poderíamos dar um ao outro: a felicidade de conhecer mais uma cidade do mundo em boa companhia.

Alguns dizem que o Dia dos Namorados é uma data meramente comercial, que não serve de nada, que é desnecessário, que é puro capitalismo. Eu respeito a opinião de cada um e a decisão de cada pessoa comemorar a seu modo. Ou não comemorar. Cada casal, sem dúvida alguma, tem suas próprias regras, seus rituais, seus acordos e suas próprias comemorações. Só que hoje em dia eu vejo graça e beleza na possibilidade de comemorar qualquer dia com você. E o Dia dos Namorados ganhou um significado para mim.

A data é importante para as pessoas que elas devem ser gentis, dar presentes, elogiar, agradar e surpreender quem se ama. E quem não tem oportunidade de fazer isso com frequência pode fazer nesse dia. Essas mesmas pessoas podem perceber que, ainda que exista uma data específica, podem fazer de vários outros dias do ano um dia especial, feliz e dos namorados.

Podem comemorar o Dia dos namorados aqueles que ainda não sabem se estão namorando ou não, como não soubemos um dia. Aqueles que já sabem que estão namorando. Os que estão noivos. Os que são casados. Porque cada 12 de junho é diferente um do outro e ganha um significado quando estamos com quem é importante para nós.

Existe dia dos namorados em todos os meses e em qualquer dia da semana. Quer exemplos? Quando você faz um jantar à luz de velas para me receber cansada, depois de uma aula estressante. Quando se arrisca a fazer um prato novo, pois sabe que eu adoro. Quando compramos algo que o outro gosta. Quando fazemos um elogio inesperado. Quando nos divertimos. Quando escrevemos um para o outro. Quando decidimos mais um destino de viagem. Quando eu resolvo assistir um filme que não gosto e fico lutando contra o sono.

Namorar é fazer pacto com a felicidade, independente do estado civil. E sabemos: a felicidade está nas pequenas coisas, o amor só floresce quando plantamos e o melhor lugar do mundo é ao lado de quem amamos, em qualquer dia do ano.

Feliz Dia dos Namorados!

Crônica publicada em 12 de junho de 2016.

linhaassinatura_GISELI

Etiquetado , , , , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: