Comunicação no relacionamento amoroso

Por mais felizes e perfeitos que os casais possam parecer eles discutem, se desentendem, se magoam e se frustram. Quem faz uma crítica deseja resolver um problema, melhorar a relação, expor o que sente, constantemente acaba gerando desconforto, discussão e vontade, por parte do outro, de se defender.

A comunicação é muito importante em todo relacionamento, mas em uma relação amorosa é ainda mais. Como dizer o que desagrada sem ferir? Como ser claro em relação aos seus sentimentos? Como demonstrar insatisfação com alguma situação? De que forma apontar o que lhe magoa sem fazer exigências?

Quem ama discute. Não tem jeito.  Discutimos com os pais, irmãos, amigos, filhos e parceiro amoroso. Uns mais do que os outros, claro. E alguns vivem brigando constantemente, pois não conseguem compreender ou se fazer compreender, o que é muito desgastante, gera enorme tristeza e afasta ainda mais o casal.

Apontar os erros do outro e lançar mão de frases como “você faze sempre isso ou aquilo”, “nunca posso contar com você”, “sabia que você faria isso”, além de fazer com que a pessoa se defenda e o acuse de várias outras coisas, afinal, você não é o cúmulo da perfeição, contribui para que o desentendimento não seja resolvido. E se agrave ainda mais.

Transformar críticas em necessidades é uma ótima alternativa para expor seus sentimentos e demonstrar o que causa desconforto. Se o parceiro chega tarde toda sexta-feira, porque toma chopp com os amigos, por exemplo, ao invés de dizer “toda semana você me deixa sozinha”, experimente “sinto a sua falta, me sinto sozinha”.

Compartilhar sentimentos é muito difícil, pois muitas vezes nem os reconhecemos, mas expressá-los ao invés de exigir comportamentos é uma maneira de manifestar necessidades sem desrespeitar, ironizar e humilhar o companheiro.

Dificilmente somos assertivos em nossa comunicação e não expressamos bem nossas necessidades. Permitimos que a raiva nos domine, escondemos o que queremos e nos sentimos frágeis ao permitir que o outro olhe quem somos – verdadeiramente. Não aprendemos a falar e nos expressar adequadamente ao longo da vida e lidamos com a comunicação como fonte de poder, onde um fala e outro atende, um diz e o outro concorda ou não, onde sempre tem quem vença uma discussão.

A comunicação não precisa ser uma arma em meio a uma batalha. Dialogar, ouvir, aceitar as necessidades do outro e as nossas fazem com que os desentendimentos e momentos de discórdia proporcionem crescimento e aproximem ainda mais os parceiros.

Para quem deseja melhorar a comunicação indico a leitura do livro “Comunicação não-violenta”, de Marshall B. Rosenberg. O livro é um manual prático e didático que apresenta metodologia criada pelo autor, voltada para aprimorar os relacionamentos interpessoais e diminuir a violência no mundo. Ensina o leitor a transformar padrões de pensamento que conduzem a discussões, raiva e depressão; resolver seus conflitos com os outros pacificamente; criar relacionamentos interpessoais baseados em respeito mútuo, compaixão e cooperação.

linhaassinatura_GISELI

Etiquetado , , , , , ,

2 pensamentos sobre “Comunicação no relacionamento amoroso

  1. […] Comunicação no relacionamento amoroso […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: