Ninguém tem a obrigação de te amar

Adultos se frustram, sofrem desilusões e lamentam a dor de um amor que chegou ao fim. Provavelmente, mais de uma vez ao longo da vida. Inevitavelmente todas as pessoas que decidem se arriscar a viver um relacionamento amoroso sofrem em algum momento.

A relação pode ter sido curta ou longa. Ou nem ter existido oficialmente. Mas acabou. As pessoas mudam, se interessam por outras, veem que a pessoa pela qual se apaixonou nem existia – era sua própria criação -, mudou e quem amava não acompanhou a mudança. Motivos para terminar um relacionamento são diversos.

Certamente você já terminou o relacionamento com alguém e, algum dia, já terminaram com você também. Ainda que levar um pé na bunda possa doer mais, nunca é fácil quando um amor acaba. Mesmo aqueles que afirmam que estão numa boa, agora são apenas bons amigos e vida que segue, ainda estão se adaptando a nova rotina, divisão de bens e uma série de coisas que envolvem dizer adeus.

Talvez uma das piores coisas do fim de um relacionamento é constatação máxima de que NINGUÉM é obrigado a nos amar. E, portanto, não têm que ficar conosco por nossa vontade. É triste, mas podemos amar sem ser correspondidos ou não ser correspondidos com a mesma intensidade.

Quando uma relação chega ao fim é natural que as pessoas se questionem o que fizeram e o que poderiam ter feito para evitar o adeus. Mas se forem honestos verão que muitas vezes não havia nada a ser feito a não ser tudo que fizeram: se entregar de corpo e alma, amar sem reservas e confiar no amor do outro.

Infelizmente muitas pessoas não têm maturidade para lidar com o fim de uma relação. Acho que ninguém tem, na verdade. Mas, para sua própria saúde – física e mental -, procure aceitar. Ir atrás, mandar mensagens, perseguir, ameaçar, insistir num retorno só vai afastar ainda mais a pessoa que você gostaria de ter por perto.

Ninguém é obrigado a nos amar e estar ao nosso lado. Elas amam involuntariamente e permanecem conosco por vontade. Ou deveriam. Amar não é imposição.

Deixe ir…

Quando menos você esperar as feridas estarão saradas e seu coração estará preparado para amar novamente.

linhaassinatura_GISELI

Anúncios
Etiquetado , , , , , , ,

Afaste-se

Ao longo da vida conhecemos milhares de pessoas e, com algumas, temos a oportunidade de viver bons momentos, compartilhar histórias, ter experiências. Algumas dessas pessoas permanecem a vida toda. São os que chamamos amigos.

Podemos mudar de escola, de endereço, de profissão, de maneira de pensar, mas eles estão lá. Presentes, mesmo quando distantes. Participativos, incentivadores, companheiros. Se esforçam para estar ao nosso lado e, não importa quanto tempo tenha passado, os assuntos não se esgotam nunca.

Outras pessoas, no entanto, se perdem no caminho. Tomam outros rumos, têm posicionamento com o qual não concordamos, cuja presença não é tão empolgante ou, simplesmente, deixam de fazer parte da nossa vida sem que saibamos explicar.

A vida é assim. Pessoas vão e vem. Mas, ao passo que é natural e compreensível que pessoas que fizeram parte da nossa vida não permaneçam nela para sempre, muitos se ressentem e se frustram com relações que se esvaem. Alguns sentem culpa: o que eu fiz? Deveria ter me afastado? Devo manter contato?

Não raro as pessoas que tomam a iniciativa de restabelecer o vínculo ficam mais decepcionados, porque descobrem que a pessoa que buscavam não é a mesma que conheceram. E não é mesmo.

Mas o meu texto não é para essas pessoas. É para tantas outras que não têm mais paciência para certas piadas, não toleram mais a convivência com determinadas pessoas, estão cansadas de certos comportamentos, mas, por diversas razões, não têm coragem de se afastar.

Às vezes os inconvenientes são os próprios familiares e a pessoa não acha educado se manter distante. Ou tem poucos amigos e teme a solidão. Ou gostam da pessoa mesmo que ela tenha se tornado alguém desprezível e não sabe como agir.

Eu estou aqui para dizer que se afastar de quem faz mal é um presente que damos a nós mesmos. Uma demonstração de amor-próprio. Um remédio para a saúde mental. E nenhum de nós deveria se sentir mal por fazer bem a si mesmo.

Portanto, afaste-se sim daquele “amigo” que te inveja, da vizinha que fofoqueira que fala mal de todos para você, do namorado que te trai (ou te bate, te ridiculariza ou qualquer outra coisa), dos pais que não te respeitam, da tia que te humilha.

Não se culpe. Todo relacionamento depende do empenho e amor de ambos os lados. Se você é o único lado que investe, doa e se preocupa, é compreensível que canse. E decida seguir em frente com menos peso.

linhaassinatura_GISELI

Etiquetado , , , , , , , ,

O ano não vai ser novo se você continuar igual

Um novo ano já começou. Depois dos fogos de artifício, brindes, desejos de felicidades, beijos e abraços, o relógio já está marcando o tempo do novo ano. E ele já está passando. E, não demora muito, já terá virado passado. Como todos os anos que já vivemos e ficaram para a história.

É ano novo. E, possivelmente, durante o réveillon, você fez promessas, pulou ondas, comeu lentilhas, brindou, deu o primeiro beijo em quem ama, rezou, pediu aos céus por boas vibrações e mentalizou tudo que gostaria que acontecesse nos próximos 365 dias.

Não importa qual tenha sido o seu ritual, ou nenhum, uma coisa é certa: você deseja que o ano que começa hoje seja muito melhor do que aquele que passou. Faz parte da vida querer sempre o melhor e não há nada de errado nisso.

Mas, voltando aos objetivos para o ano que já começou, o que você desejou? Como você planeja realizá-los? Ou todos eles não passam de promessas vazias, que vão estar perdidas antes mesmo no carnaval acabar?

Realizar nossos sonhos não é fácil. Mas, infelizmente, ninguém pode realiza-los por nós. Sei também que num mundo tão complexo como o nosso nem tudo depende só de nosso esforço e boa vontade. Há, no entanto, uma parte que acabe somente a nós mesmos e o segredo é se agarrar a ela e fazer o melhor que puder.

Eu desejo que seu ano seja cheio de paz, amor, harmonia, prosperidade, saúde, e, principalmente, muita coragem para lutar pelos seus sonhos durante os dias que virão. Que você seja capaz de alcançar tudo o que quiser e ser feliz com suas escolhas.

Ninguém vai sonhar nossos sonhos e realizar nossos planos. Portanto, ainda que não sejamos capazes de concretizá-los da maneira que gostaríamos. Que tenhamos a felicidade de chegar ao fim do ano certos de que fizemos tudo que estava ao nosso alcance, que mudamos, amaduremos, crescemos e nos tornamos mais fortes e corajosos.

Para transformar a nossa realidade precisamos mudar também. É impossível realizar coisas novas permanecendo igual.

Feliz ano novo! O ano todo.

linhaassinatura_GISELI

 

Etiquetado , , , , , , , ,

Presente de Natal

Final de ano é uma época controversa, em que muitos sentem saudades de pessoas que já não estão entre nós, lembram antigos desafetos, sofrem pela ausência de quem está longe. Enquanto outros estão ansiosos para viajar, encontrar familiares, se reunir com os amigos. Alguns consideram a data triste e outros veem nela uma oportunidade de renovação, esperança, planos e promessas.

Mas, triste ou alegre, há luzes coloridas pela cidade, vitrines iluminadas e milhares de pessoas em busca de presentes para os seus entes queridos. Seja para demonstrar afeto, mostrar que lembrou de quem ama ou pedir desculpas, a proximidade do Natal faz com que muitas pessoas distribuam caixinhas que, além de objetos, estão cheias de sentimentos.

As lojas ficam lotadas e as ruas intransitáveis. Em meio a tanto consumismo algumas pessoas lamentam a impossibilidade de comprar presentes. Mas com pouco ou muito dinheiro sempre é possível presentear quem você ama. Com uma carta, um doce, uma declaração nas redes sociais, se oferecendo para ajudar de alguma maneira.

O melhor presente de Natal é o sentimento que vem com ele. De nada adianta vistosas caixas e objetos caros se não há um relacionamento harmônico e um sentimento verdadeiro. Eu sei que parece clichê – e é mesmo – mas nenhum embrulho é mais valioso do que o amor. É ele que permanece quando o presente acaba, não serve mais ou perdeu a graça.

Eu desejo que todos ganhem muitos presentes. Mas, sobretudo, que ganhem muito amor. Que as caixas que recebam não sejam fruto de mera formalidade e educação, e sim que estejam repletas de bons sentimentos e desejos de felicidade.

Feliz Natal!

linhaassinatura_GISELI

Etiquetado , , , ,

Pontualidade é prova de educação

Eu não conheço todos os cantos do Brasil, nem tampouco do mundo. Mas posso afirmar que, ao menos no Rio de Janeiro, a pontualidade não é o forte das pessoas. Seja no âmbito pessoal ou profissional, os atrasos são constantes. Acontecem todos os dias.

Não raro eu sou a primeira a chegar às reuniões, encontros e festas. Lembro uma vez que até ajudei a arrumar decoração de aniversário infantil, porque a família ainda estava montando tudo e os convidados nem sequer haviam chegado. Foi quando eu me dei conta de que, em festas, chegar no horário agendado é uma gafe.

A impressão que tenho é que as pessoas marcam um compromisso uma hora antes para que as pessoas cheguem no horário correto. Mas elas se atrasam assim mesmo. Não importa quão tarde seja o compromisso agendado, tenha certeza que os convidados, inevitavelmente, vão se atrasar.

Para evitar situações como essa hoje eu procuro sair de casa no horário marcado – e não chegar na festa no horário marcado, entende? – para não ser a primeira da festa. E pasmem: muitas vezes continuo sendo a primeira.

Às vezes chego a pensar que me convidam para segurar a mesa ou marcar o lugar, porque não faz sentido algum a pessoa que escolheu horário e local chegar atrasada. Ainda tenho dificuldade de compreender a impontualidade das pessoas.

Imprevistos acontecem. Em alguns momentos é inevitável se atrasar. Mas até nisso quem prega pela pontualidade age diferente: procura avisar, se preocupa. Os impontuais julgam que não devem explicação nenhuma, que desrespeito ao horário é flexibilidade e que todos estarão à sua espera. O tempo que for.

Diante de tudo isso eu fico encantada com pessoas que cumprem horários. Você combina em frente ao cinema às 16h e a pessoa está lá. Agenda uma reunião às 10h e ela começa às 10h. Marca uma ligação às 19h e adivinha? A pessoa liga! É raro e lindo de ver! Chega a ser emocionante.

Pontualidade, para mim, é sinal de educação. Sinal de que a pessoa se compromete com o combinado, valoriza o tempo do outro, cumpre prazos, sabe se organizar e se planejar. Não deve ser uma preocupação apenas para compromissos profissionais. Mas para a vida.

Embora seja difícil de enxergar, todas as pessoas, além de você, tem muito mais a fazer do que ficar te esperando.

Crônica publicada no blog pessoal de Giseli Rodrigues no dia 22 de dezembro de 2017.

linhaassinatura_GISELI

Etiquetado , , , ,
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: