Arquivo da tag: Amor

O cuidado não é tarefa das mulheres

Somos ensinadas, desde pequenas, a cuidar e a servir. Lembram da infância? Ganhávamos bonecas, panelinhas e tudo que fosse ligado ao universo doméstico. Quando os meninos queriam fazer parte das nossas brincadeiras, geralmente, eram desestimulados pelos adultos e incentivados a brincar de outra coisa. Não na minha casa, mas essa é outra história que pode virar texto em outro momento.

Quem nunca ouviu que toda mulher tem instinto maternal? Que afazeres domésticos é coisa de mulher? Que se cozinha bem já pode se casar? Que mulheres têm mais habilidades para trabalhos manuais? Que os filhos precisam mais das mães? Poderia citar outros milhares de exemplos, mas não é necessário, pois creio que todos compreenderam o que quis dizer.

Por que estou dizendo isso, afinal? Porque, quando nos tornamos adultos, somos levados a acreditar que o cuidado é tarefa das mulheres. Em um relacionamento, portanto, muitas vezes as mulheres se veem sobrecarregadas com os afazeres domésticos, cuidados com os filhos e com os maridos – que, segundo pesquisas, chegam a dar mais trabalho que os filhos!

Maridos não são filhos. Mulheres não são responsáveis, sozinhas, pelo sucesso da relação. Filhos não precisam só das mães. O cuidado não é tarefa exclusiva das mulheres, embora a todo momento sejamos levados a acreditar que sim. Está cada vez mais claro para mim que não dá para edificar uma casa sozinha. Carregar esse fardo é desumano e cruel – e leva muitas mulheres à exaustão e sobrecarga.

No mundo em que eu vivo alguns homens preparam almoços e jantares, planejam viagens, lavam louça, limpam a pia, lavam roupa, separam o lixo, cuidam dos filhos – que algumas vezes não são seus. Atribuir a capacidade de cuidar somente às mulheres é ultrapassado, mas ainda há quem viva no século errado, não é verdade?

Cuidar implica em assumir afazeres chatos, como lavar louça, ir ao supermercado, trocar fralda de criança. Mas quando a gente ama e faz isso em conjunto, ou faz pelo cuidado com o outro, essas atividades ganham outra dimensão e aprendemos que o melhor nos relacionamentos são as vivências diárias com as pessoas que amamos.

É no cuidado com o outro que os laços familiares são solidificados, as conexões emocionais são fortalecidas, as relações com os filhos se tornam mais próximas e a nossa existência mais enriquecida. Quem ama cuida. Não num dia de festa ou ocasião especial, mas diariamente.

linhaassinatura_GISELI

Etiquetado , , , , , , , , , ,

Amor e Dia dos Namorados

O Dia dos Namorados está chegando e, no Brasil, a data foi criada para melhorar as vendas do mês de junho, que sempre eram muito fracas. Deu certo: ela passou a ser a terceira melhor época para o comércio, só perdendo para o Natal e Dia das Mães. Com a pandemia, este ano o resultado das vendas não deve ser muito positivo, mas não pesquisei e é o texto não é sobre isso.

Estou aqui para lembrar que o Dia dos Namorados está chegando e que essas datas comerciais são uma oportunidade de manifestar amor, dar e receber presentes, fazer algo diferente e marcar uma comemoração. Não precisamos esperamos o dia 12 de junho para isso, claro, mas: por que não fazer neste dia também?

O Dia dos Namorados lembra que é preciso marcar dia e horário para celebrar o amor. Os afazeres, compromissos e responsabilidades do dia a dia muitas vezes nos fazem esquecer de olhar para a relação e dar atenção a quem amamos e, em meio a uma pandemia, com tantos problemas ao mesmo tempo, tendo que administrar uma nova rotina, pode ser ainda mais desafiador.

Nem só de espontaneidade vive o romantismo, mas também de planejamento e previsibilidade. Combinem de ver um filme juntos, começar uma série, preparar um almoço ou jantar diferente (ou pedir delivery!).

Eu queria dizer: aproveite todos os dias como se fossem dia dos namorados. Mas sabemos que não cabem nos dias dos adultos tantos dias e horários para comemorações. Por isso, se puder aproveitar no dia 12 de junho, aproveite. Se por alguma razão não puder, marque outro dia. Você pode, inclusive, definir uma outra data de comemoração e torná-la única.

Comemore a felicidade de ter a quem amar. No dia 12 de junho ou em qualquer outro dia. Feliz Dia dos Namorados!

linhaassinatura_GISELI

 

Etiquetado , , , , , ,

Alma gêmea

Alma gêmea, metade da laranja, nascidos um para o outro, destinos traçados na maternidade. A maior parte das pessoas, quando se apaixona, quer acreditar que o seu romance estava escrito nas estrelas, é mágico, especial e único. E isso torna tudo mais bonito, não é mesmo?

Não podemos negar que o amor é, sim, uma grande potência. Mas almas gêmeas são construídas dia a após dia. Toda empolgação do começo muitas vezes não dá em nada. E por diversas razões: havia só interesse de conquistar, as pessoas não estavam sendo verdadeiras, mas, sobretudo, muitas pessoas não estão dispostas a investir em uma relação.

Você até pode gostar de alguém à primeira vista e no primeiro encontro jurar que encontrou a pessoa certa, mas, para ter certeza, vai precisar encontrar outras vezes. Vai precisar investir seu tempo, abrir suas emoções, se envolver e permitir que o outro faça o mesmo.

Mas até que ponto as pessoas que reclamam que não encontram sua cara metade desejam viver um relacionamento longo? Somos educados a acreditar que vivemos melhor quando acompanhados, que todos devem se casar, ter filhos e constituir uma família. E por isso muitos procuram um grande amor. Não todos. Alguns, ainda que digam que sim, têm dificuldade de construir relações.

Por mais que o mundo tenha mudado, algumas pessoas permanecem casadas, ainda que infelizes, para não serem consideradas fracassadas diante de uma separação. E muitas nem chegam a criara vínculos duradouros com medo de dar errado. Ou porque não encontraram alguém que valha a pena compartilhar a vida.

Alma gêmea existe. Desde que você compreenda que ela é uma pessoa comum, com qualidades e defeitos, sem dons especiais e sem poderes mágicos. É uma dessas tantas pessoas loucas que, apesar de tanto ódio no mundo, apesar de tantas decepções e desilusões, continua acreditando que o amor vale a pena. E sempre valerá.

Você é uma alma gêmea?

linhaassinatura_GISELI

 

Etiquetado , , , , , ,

Deixe o amor entrar

A maior parte das pessoas quer encontrar um grande amor e viver um relacionamento duradouro, mas, depois de algumas decepções, ainda que não tenham desistido, o coração, cheio de cicatrizes, está mais endurecido.

Como confiar em alguém depois de ter sido traído? Como se entregar novamente depois de ter sido magoado? Viver deixa marcas, não tem jeito. E, infelizmente, momentos dolorosos também fazem parte da nossa história. E, se existe um lado bom nisso, quando se trata de relação amorosa, as experiências nos levam a errar menos das próximas vezes.

Não acredite que você “tem dedo podre”, que não sabe escolher, que se envolve somente com quem não presta, pois não merece coisa melhor e que relacionamento amoroso não é para você. E, se identificar que, realmente, escolhe sempre o mesmo perfil, procure terapia. Sério. Às vezes é importante saber o porquê nos sabotamos, inclusive no amor.

Cedo ou tarde, o amor vai surgir na sua vida novamente, mas você não irá perceber se não tiver aberto a isso. Se, cheio de mágoas e rancores, não der uma chance para conhecer alguém que está disposto a fazer parte da sua vida.

Eu sei que, em meio a tanto ódio e violência, é difícil acreditar nas pessoas e permitir conhecê-las. Mas existe muita gente boa nesse mundo. Gente disposta a amar, a compartilhar, a contribuir, a somar. A construir uma relação saudável e feliz.

Você não precisa insistir em relações infelizes nem aceitar qualquer tipo de relacionamento para por medo de ficar só. Ame-se. Aprecie sua própria companhia. Saiba o valor que tem. Faça programas que lhe agradem. Viva. É mais fácil identificar alguém que vale a pena quando não está buscando alguém para ser feliz. Ninguém é responsável pela sua felicidade a não ser você mesmo.

E, quando o amor chegar, deixe ele entrar.

linhaassinatura_GISELI

 

Etiquetado , , , , ,

Casais que conversam são mais felizes

Todos nós nos comunicamos o tempo todo, na vida pessoal, profissional ou acadêmica. Mas, sabemos, nem sempre somos compreendidos ou nos fazemos compreender. A comunicação é um desafio e, constantemente, início de vários mal-entendidos, fonte de mágoas, desavenças e afastamento entre as pessoas. Quando se trata de relacionamento amoroso muitos reclamam que o parceiro não entende o que dizem, que não há um momento em família para conversar sobre o dia a dia, que não é compreendido, que não têm apoio.

A verdade é que não aprendemos a nos comunicar e, sim, a falar. Não somos ensinados a identificar nossas necessidades, expor sentimentos, falar para o outro o que sentimos e ouvir sem julgar. Alguns de nós aprendem na marra. Outros procuram ajuda para aprender. Mas muitos não aprendem nunca e quando se dão conta estão vivendo um relacionamento distante, sem diálogo, em que cada tentativa de iniciar uma conversa vira uma discussão.

O que cada um de nós pode fazer para manter uma boa comunicação na relação? Sobre o que podemos conversar? O que devemos fazer para proteger o relacionamento? Como os casais felizes se comunicam? A Psicologia pode ajudar. Ela tem mostrado quais comportamentos melhoram a comunicação conjugal e tornam os relacionamentos mais felizes.

Então vamos lá:

  1. Faça da conversa um hábito

Crie o hábito de conversar, seja no café da manhã ou no jantar. No tempo que tiverem juntos. Pergunte “como foi o seu dia?”, por mais banal e trivial que isso possa parecer, quem não gosta de saber que, ao chegar em casa tem alguém interessado no que você fez e como se sente?

  1. Relembre momentos felizes

Conversar sobre os acontecimentos vividos têm a capacidade de nos fazer sentir mais ligados a quem amamos. Então pegue o álbum de fotos ou comecem a fazer um. Conversem sobre as memórias que construíram juntos: o primeiro beijo, o primeiro encontro, uma festa divertida que foram, um show que ficou marcado, uma viagem inesquecível.

  1. Conte a sua história

Compartilhar a sua história de vida, e ter disponibilidade para conhecer a do outro, é muito importante em uma relação duradoura. Fale da sua infância, da sua família, das suas experiências passadas. As pessoas se sentem mais próximas umas das outras quando conhecem seu passado e compartilham sua bagagem emocional.

  1. Compartilhe e respeite os sentimentos

Falar a respeito dos seus sentimentos faz com que a pessoa amada se sinta mais amparada e aberta a falar dos seus. E, uma vez, que a pessoa que ama fale o que sente cabe a você prestar atenção no que diz e mostrar que ela tem direito de se sentir como está.

  1. Lute pelos seus sonhos

Não coloque no outro a responsabilidade de te fazer feliz. Cabe a você lutar pela concretização dos seus objetivos. Portanto, fale dos seus planos e objetivos, diga onde quer chegar, exponha seus sonhos. Não é justo, de uma hora para outra, tomar decisões que afetam o casal se em nenhum momento conversou sobre isso. Por outro lado, preste atenção no que o outro diz, incentive a buscar seus sonhos e ajude a realizá-los. A relação fica mais viva quando torcemos pela felicidade do outro e o outro pela nossa. Quando o casal se torna uma equipe.

  1. Não dê conselhos que não foram pedidos

Na maioria das vezes, ao falar de um problema, seja ele familiar ou profissional, a pessoa prefere uma demonstração de empatia a um sermão. Ouça. Coloque-se no lugar no outro. Acolha sentimento de quem você ama e, se sua opinião não foi solicitada, não dê. Se colocar como dono da verdade, sair dizendo o que fazer, ainda que seja com a melhor dos intensões, pode trazer discussões e mal-entendidos. Tem hora de falar e de calar.

  1. Demonstre o seu amor

Não importa o tempo que estão juntos. Dizer eu te amo, abraçar e demonstrar afeto nunca é demais. Ao imaginar que o outro já sabe o que sentimos e, por isso, deixar de dizer, afasta o casal. E demonstre nas suas ações cotidianas, pois palavras sem ações não têm muita validade.

Para terminar, eu escrevi alguns textos que falam sobre comunicação e também podem ajudar:

Manter uma boa comunicação não é tão fácil quanto imaginamos, pois depende de conhecermos a nós mesmos e o outro, mas quando há amor vale a pena tentar.

linhaassinatura_GISELI

Etiquetado , , , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: